quarta-feira, 11 de abril de 2012

Midia - Artes em análise e estudo 2 - Conteudo apateista saudável

apateísmo significa indiferença quanto a existência de Deus. Quando falo de conteúdo apateista quero me referir a todo tipo de arte, filme, série, que não demonstra interesse na crença de Deus, não levando a existência de Deus e seu reino com seriedade, ou simplesmente não tratam do assunto por considera-lo distante e inconveniente.


o conteúdo desse tipo é fruto de uma imaginação, e não corresponde com perfeição a realidade, mas faz o serviço de mostrar um mundo onde Deus pode muito bem não existir. Sendo os mundos ficticios, há grande espaço para pecados que talvez Deus impedisse no mundo real. Não ignorando também que a manifestação de Deus é um evento raro, o problema principal desse grupo é que acabam deixando entrar suas filosofias contrarias a Deus (como sexo sem casamento, violência, e falta de moralidade de forma geral, com humor maldoso, mentiras, desonestidades, inimiguismos, etc).

Nem sempre isso é verdade. No artigo anterior citei um genero de filme baseado em crenças cristãs, os filmes apocalipticos, que são muito contrarios a filosofia cristã de amor aos inimigos, e luta pelo bem de todos, e distanciamento do mal.

Assim também programas apateistas são assistidos por cristãos normalmente, e muitos programas podem ser muito educativos. É por esse relativismo ético fruto de um entretenimento basicamente apateista (que dificulta a santificação) que frequenetemente cristãos discutem sobre se certos conteúdos são bons ou não.

Recomendo algumas séries que são educativas:

Desenhos

Doug é o primeiro que me vem a memória. O desenho é educativo em ética, e tem consideravel romance. Não estou dizendo que não tenha defeitos, mas é um bom exemplar de tentativa de criar uma história de ser um bom garoto, gentil, educado, e fazer amigos.

Outros muitos desenhos, teóricamente, podem entrar nesta categoria, de desenhos que fazem muito pouco mal e muito bem.

Ursinhos carinhosos, um desenho antigo de ursinhos benignos, é bastante infantil e educativo.

Confesso que não lembro de muitos. Estou excluindo desenhos que tenham muito forte violência e inimiguismo, inclusive muitos desenhos da Disney, não negando que tenham muitas coisas boas (como é possivel que se encontre até no mais terrivel filme de terror e violência).

Passando adiante para programas, gostaria de destacar o famoso "Castelo Ratimbum" como um caso digno de nota:

O programa é uma jóia de educação moral, de ética, incentivador de curiosidade, ciência, amor a musica, etc, etc, etc... Mas tudo dentro de uma temática de bruxos.

O tema de fantasia medieval e magia são comuns na nossa cultura, e certamente contaminam nossa sociedade, familiarizando-nos com a feitiçaria, que é, de forma simplificada, uma rebelião a Deus, sustentada por sinais dados por anjos rebeldes, que assim garantem que todo tipo de crença, por mais irrealista que o seja, se sustente, criando um pluralismo religioso. Uma das ultimas coisas que um cristão deveria querer é que seus filhos brincassem com bruxaria. SÉRIO. Porém, culturalmente falando, estamos habituados a isso.

Uma razão em particular é esta: o Ratimbum (ouvi dizer que tal palavra pode significar "eu te amaldiçoo", mas duvido que, mesmo sendo isso verdade, tenham dado o nome intencionalmente como mensagem subliminar ou ténica de amaldiçoar os outros. Isso por causa do conteúdo do desenho que indica sinceridade) é um dos melhores programas em educação GERAL, faltando JUSTAMENTE educação religiosa, que ele não se comprometeu a ter.

Concluo isto: devemos criar mais e mais conteúdos educativos.

Seguindo adiante na parte de programas apateistas, temos jornais (que são muitas vezes horriveis em violencia, mas relatam a realidade), que também desprezam a questão da existência de Deus, e defendem com frequencia homossexualismo como uma coisa maravilhosa e que só é mal vista por preconceito, programas educativos dos muitos canais voltados para história e ciência, e mais uma vez, programas infantis.

Tudo isso me faz concluir que temos um comportamento estranho: quando eramos crianças, viamos programas infantis, educativos... Mas conforme crescemos passamos a achar os programas bobos e infantis, mas também perdemos o ar educativo deles, passando a programas não educativos, e até mesmo danosos, ao invés de continuar crescendo com programas mais e mais interessantes.

Há uma terrivel associação de bondade com infantilidade e maldade com ser adulto. Tanto que filmes violentos, ou de sexualidade sem casamento (pornografia), filmes de terror, são classificados não como malignos ou danosos, e tão pouco são proibidos, são classificados como "adultos", para serem assistidos (mentira!) quando eles já estiverem pervertidos o bastante de sua inocencia para não se escandalizar com o seu conteúdo.

Pretendo falar disso mais em outro artigo, onde compararei uma escala de valores éticos com o conteúdo dos programas (que são razão para as classificações que estou fazendo).

Os jogos apateistas saudaveis existem. The Sims, Sims city, e simuladores de forma geral (não de guerra), são educativos, semelhantes a brincadeiras de bonecas (com a vantagem de tirar o ar de feminino), cidadinha... Sâo programas de gerenciamento, treinamento com finanças, amor a trabalho...

Harvest Moon, um jogo de fazenda, se junta a muitos outros jogos que tem contaminação realmente minima e conteúdo educativo alto. Não apenas este jogo há, outros jogos de fazenda também existem, mas de forma geral os jogos masculinos tem muito o tema de violência e morte (razão pela qual falaremos dele em outro artigo), e os jogos feminos são frequentemente os jogos menos danosos.

Infelizmente para os meninos, no antagonismo de torna-los guerreiros e as meninas donas de casa, vaidosas trocadoras de roupa, mães... Quem sai com treinamento para uma vida REAL, e ganha uma mente SAUDAVEL são elas. Coisa que veio da cultura dos brinquedos, e só aumentou.

Por mais que seja estranho para quem está acostumado a jogos violentos, recomendo abster-se deles e ir procurar alguns dos que falei.

Em termos de musica saudavel, pode existir, e muito, mas não estou estudando suficientemente musicas.
Livros é uma das areas MAIS RICAS em conteúdo saudavel que existe para todos, inclusive cristãos.

Mas recomendo manter distancia dos livros de ficção, e focar-se em livros de conteúdo. Por menos agradavel que sejam os livros em relação as outras midias mais poderosas, o resultado pode ser muito melhor no futuro.

Tudo isso que falei mostra as oportunidades que temos e o quanto o mundo ainda precisa de conversão. Neste mundo, os cristãos são treinados não para fazer mídia, mas para assistir somente. E está fazendo muita falta. Entre o desprezo e o ódio, há pouca distancia. Entre o desprezo sobre Deus (que já é um mal em si, pois Ele exige a crença, e a adoração e glorificação), e a desobediência aos seus mandamentos a distancia é bem pequena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário