quinta-feira, 12 de abril de 2012

Midia - Artes em análise e estudo 3 - Conteudo apateista não saúdavel

O conteúdo de mídia, filmes, jogos, desenhos, etc não saudavel é muito vasto.

De forma geral é muito facil achar coisas más.

De forma geral, filmes, séries e desenhos, jogos, etc tem alguns temas ou conteúdos principais particularmente danosos:

Indecencia sexual - A desordem e perversão sexual, está presente especialmente nos filmes pornograficos, mas não se restringe a eles, passando também em diversos filmes chamados "sérios". O conteúdo é abundante na internet, em canais proibidos e outros a noite. Não se esquecendo de programas de humor que frequentemente o tem. jogos, especialmente de luta, costumam usar seminudez feminina também. A sexualidade é objeto de brincadeira para artistas que não dominam os conceitos éticos sobre o assunto nem para si próprios e suas familias, mas influenciam as massas.

Violência - Tipica de filmes, séries e jogos, é fonte de entretenimento social. É dificil achar um cristão que não esteja habituado a ela. A violência simulada, tanto em filmes, quanto desenho quanto jogos tem a tendencia de se tornar mais e mais realista conforme a tecnologia avança, e sendo explorada mais e mais de maneira escandola.
Cito como indicador de que isso é verdade a série batmam. No inicio, na época do carro azul, parecia muito infantil. Depois, indo para a série de filmes do batmam de carro negro, ficou um tanto mais "madura" (na verdade seria imadura, e irresponsável) usando mais e mais violência e maldade. Na terceira série de filmes a violência se tornou espantosa, com serial kilers de faca, e destruidores do mundo.

A violência é um mal, sem duvida, mas está TÃO impregnada na nossa cultura, TÃO empregenada que somente quando jogos parecem ir ainda mais além nela, forçando-a mais um pouco, como na série RESIDENT EVIL, ou GTA, que as pessoas, cristãs, reclamam. Quando reclamam. Não nego que fiz de hipocresia, brincando com coisas do tipo, e vendo filmes o tempo todo.

não posso dizer que fui o unico. Antes, ao contrario, a violência é tanta que filmes como os da série Narnia, de conteúdo relativamente cristão, contém isso, e em dose consideravel.

Jogar jogos complexos, desafiadores, maduros, sem violência se tornou algo muito dificil. Ironico é que "maduro" inclui a arte de ser violento. Pais reclamam de filhos, quando na verdade sempre assistiram conteúdo semelhante.

Destaca-se nos desenhos os animes (muitos deles são MUITO violentos e perturbadores), especialmente "Dragon Ball (Z, GT, tanto faz), Cavaleiros do Zodiaco (muitissimo violento), e jogos de luta de forma geral, guerras, Counter Strike, Resident Evil, Mortal Kombat...

Feitiçaria - Como não poderia deixar passar, essa é a grande criticada pelos cristãos. A violência, tão comum na nossa cultura, parece não ser alvo de criticas diretas. Já a feitiçaria é frequentemente criticada, apesar de estar na nossa cultura. Não sem razão, deve ser criticada. Ela faz apologia a magia e feitiçaria, brincadeiras com demônios, dragões, contaminando a mente da sociedade... Mesmo que não significasse NADA em termos éticos (e significa, por que o espíritismo, magias, e idolos se glorificam aqui) seria uma vergonha que dentre todas as coisas nós passamos a brincar de sermos "bruxinhos".

Harry Potter, é claro, é o primeiro da lista. Mas a magia está até em Narnia. Séries de jogos incluem isso o tempo todo, especialmente RPGs (sejam de tabuleiros ou eletronicos), que contém até rituais.

Magos brancos, magos negros, feiticeiros, bruxos, são tipicos desta cultura que precisa ser MUITO santificada. Estou muito habituado a ela, tendo jogado MUITO um jogo que usa esse tipo de cultura (e outras) com abundancia: A Lenda de Zelda (the legend of Zelda).

Este, dentre tantos outros jogos, como de costume, podem ter partes educativas, incentivadoras da inteligencia, criatividade, astucia, e habilidade, etc etc, mas contém magia, feitiçaria, e deuses alheios. Ele não deixa de entrar numa categoria que mencionarei a seguir, e é claro, não escapa da tipica violência:

Criação de Demônios

Vampiros, Zumbis, orcs, e demônios de forma geral são CRIADOS INTENCIONALMENTE por pessoas que desprezam isto, brincando com o mal. Jogos são os que mais se banham nisso, mas seria injusto dizer que somente eles tem tal cultura. Antes, filmes e desenhos medievais frequentemente tem isso.

Vampirismo mereceria até uma atenção especial, pois está ligado fortemente a satanismo, e crença de vampiros. O conteúdo é maligno e desprezador do valor das almas.
Jogos como o já citado Resident Evil trazem pessoas mortas-vivas, doentes, apenas para eliminar a compaixão de extermina-las discriminadamente das formas mais violentas e eficientes possivel.

Inimiguismo

De forma geral, violência, feitiçaria, e demômios são todos sistemas de uso do mal, e em particular há uma criação de inimigos.

Inimigos são criados DE PROPÓSITO MAUS, FAZENDO O MAU para atormentar os heróis, com intuito de manter uma boa trama. Isso é danoso, porque enquanto eles estão ali, não são convertidos, as pessoas acostumam-se a idéia dos maus não se salvarem, a compaixão é perdida, e eles fazem muito mau, mal tão tão grande que impressiona, e que só é permitido justamente porque é falso. PARECER MAU pode, PARECER QUE MATOU, ESFAQUEOU, ATIROU, EXPLODIU, TORTUROU, pode. Só fazer que não. O resultado ainda acaba por trazer uma imagem as vezes PIOR tanto de anjos rebeldes, quanto de humanos pecadores, do que é para ser, colocando inimigos como seres invenciveis, iniconvertiveis... E ai o cristianismo se retrai e cristãos se acostumam com vingança e o ódio... Assistindo TV ou jogando.

Terror

Isso tudo nos leva ao grande horror da imaginação humana. Filmes de terror são basicamente brincadeiras (NÃO educativas) com o mau, verdadeiras TORTURAS PSICOLÓGICAS com intenção de entreter. Sob esse pretexto, vale arrancar a cabeça, criar demônios, fantasmas, gritos, dores e até crianças zumbis. O terror se sustenta com o fato de que pessoas assistem e jogos: INCLUSIVE CRISTÃOS, acostumados com o sistema. Quando a glória das pessoas é enfrentar o mal, casas mal assombradas, filmes terriveis de demônios gigantescos (e aqui entra a temática cristã, no seu pior lado), maldade atrás de maldade.
O horror é dito como brincadeira. Por isso se pode queimar pessoas vivas (só não são de verdade, mas parecem muito ser) para "entreter" crianças e adultos. Lamento, crianças, vocês terão de ir para o quarto... Jogar video-game, usar o computador... É, só que lá tem tudo isso e até mais.

Jogos de terror, como o famoso Resident Evil, lider do genero, fazem o mal crescer na terra. IMAGINA-SE O MAL, O PIOR MAL POSSIVEL, DE PROPÓSITO, para ganhar dinheiro. A imaginação das pessoas é dedicada ao mal.

Fiquem longe de "Jogos Mortais", "Resident Evil", "O chamado" (e a lista é interminavel). Séries VICIAM, quer boas quer más.

Romance - Amor proibido

Tendo já a pornografia, com demonstrações violentas de sexualidade, em forte desordem, desestrurando a familia e pervertendo a sociedade a fantasias socialmente indesejaveis, o romance não vem para ajudar...

Ou melhor, VEM, mas numa visão apateista.
Há casos raros como "um amor para recordar" que dão uma vistão cristã, benigna, pura, fiel.

Porém, uma grande porção de romances trazem o DETESTAVEL triangulo amoroso, tipico também de novelas. Neste sistema, há adultérios e seduções, e não pouco sofrimento e drama. Mais uma vez, se ajuda a sofrer, só que de tristeza, não de medo, para entreter-se, sentir-se vivo, mesmo as custas da perda da ética e criação de inimigos e sofrimento.

Não querendo ser injusto, romances tem também o seu lado educativo, sobre como lidar com as mulheres, ser gentil, romantico (no bom sentido, de amoroso), agradavel, lutar pelo seu amor. Tudo isso há. Os romances destacam-se muito nessa area. Mas falham frequentemente com Deus diante de nós cristãos, habituados a não fazer histórias e sim assistir a dos outros: sexo sem casamento é comum no romance, bem como amor proibido. Ele também costuma ter o mau humor, o próximo da lista.

Mau humor - Ou humor, comum, da sociedade, como preferir

Os filmes de "comédia" são na verdade, com FORTISSIMA frequencia pretexto para rir da desgraça alheia, depravação sexual, desgraça dos mocinhos, absurdos, loucura, estupidez. Se ri da burrice, e de situações estranhas enquanto depravação sexual passa as risadas. Comum de programas de comédia, e filmes é isso, bem como o chamado "humor negro", a corrupção, a maldade... Não conheço UM filme que me venha a memória que não tenha alguma dose, normalmente alta, de humor ruim.

Comédias romanticas não são excluiveis. Aqui e ali, ainda, volta e meia pessoas "estranhas" e situações "estranhas" que são razão de riso para pessoas tolas, ensinadas com programas como Chaves e pica pau a rir da desgraça dos outros, ao mostrar homossexuais travestidos, pessoas de carater incerto, e as chamadas "bixas loucas". Enquanto se fala de respeito a homossexuais, eles são alvo de situações repulsivas para se rir deles... E depois a consciencia bate, e querem até se orgulhar dos que tanto zombaram.

Friends, The Big Bang Teory, Two and a Half Man, são só alguns exemplos de filmes que passam sexualidade sem casamento, desordem, depravação, onde se ri da corrupção e maldade alheia, e até se zomba de Deus e da moralidade. Passem bem longe, deixando junto com Simpsons, South Park, dentre outros. Na verdade, fica uma dica: se você estiver rindo, em qualquer momento, com filmes, séries, desenhos... Deveria estar bravo e chorando se tivesse um coração ajustado com relação ao humor, na MAIORIA ESPANTOSA dos casos. Isso digo de experiencia própria.

O assunto do humor é tão importante que renderá material a parte.


Rivalismo - Pai do egoismo
Ainda, jogos de esportes, competição, mesmo não sendo luta, são prejudiciais na sua forma de entrenimento, assim como as atividades que as inspiram, por incentivar a DESUNIÃO, a COMPETIÇÃO, o EGOISMO.

Não se iludam, estas praticas tornam pessoas egoistas, vaidosas, e desinteressadas em amar o próximo como a si mesmo. É aqui onde o cristianismo morre e nós olhamos e dizemos "mas... É o que temos"

Nenhum comentário:

Postar um comentário