segunda-feira, 18 de junho de 2012

Midia - Artes e analises em estudo 4 - As essencias perigosas

Tenho coletado várias informações sobre diferentes franquias de jogos, filmes, e outros.

Além de ajudar a achar os conteúdos mais adequados, também comentei de alguns elementos constantes nas midias.

Feitiçaria e paganismo,
Violência,
Terror e Horror,
Humor demente,
Pecados sexuais,

Essas essências dos filmes e jogos são coisas malignas que estão nos mundos. Além do apateismo (indiferença a Deus), essas essencias são constantes.

Grande parte do problema está no fato de que as histórias muitas vezes envolvem batalhas do bem contra o mal, que embora tenham certa utilidade (como fonte de apego ao bem e heroismo), por outro lado sustentam o mal. Para se criar heróis, são criados grandes vilões.

Nem tudo é sobre isso, porém. Perversões sexuais são da cultura do mundo que desobedece a ordem de Deus. O que é crime para Deus é tratado como questão de fé em uma sociedade que se diz cristã mas tem um governo apateista.

O mau humor também um mal, também muito difundido na nossa sociedade, e está até nas igrejas e até na boca dos pastores no pulpito. Infelizmente, o humor se sustenta tanto em filmes de humor, quanto comédias romanticas, quanto em filmes de aventura (filmes de risco, perigo, possivel violência, inclusive). Além de ter um banco consideravel de piadas e charges.

O terror e o horror são extremos da ação e da aventura. Excelentes fabricas do mal são os roteiristas de filmes de terror, em pleno trabalho. A intenção de criar medo para divertir serviu de base para as cenas mais desumanas do mundo, e a produção continua.

O problema aumenta conforme a capacidade tecnológica das pessoas aumenta de criar coisas mais e mais realistas. Adultos reclamam de jogos violentos, mas a verdade é que os filhos só estão fazendo semelhante ao que os pais faziam com os filmes. O espanto não tem resolvido, e infelizmente, coisas mais e mais horriveis continuam sendo imaginadas intencionalmente para produzir novas idéias.

A violência também mora com os filmes de aventura, policiais, investigativos. Mais uma vez, o que sustenta o sistema é o estilo de criação humana que faz uso e abuso da luta do bem contra o mal (infelizmente, criando o mal para isso).

Não desprezivel, mas muito desprezada, porém, é a cultura da feitiçaria e paganismo. Associada a fadas, mitos, magos, ela se torna base de uma afinidade com crenças pagãs, e distanciamento da aversão as praticas. Não nego que nesses mundos haja muito heroismo, criaturas belas, romance, e muitas outras coisas boas como poderes bastante curiosos, porém ainda se mantém a cultura pagã. Isso é "ruim para os negócios", quando seu negócio é o reino de Deus.

Em particular difundida no mundo dos jogos, essa cultura tem crescido e inspirado filmes mais e mais (muitas vezes vindo do próprio mundo dos jogos). Na busca de novos poderes, a solução parece sempre ser a de feitiços.

Não atoa, porém isso acontece. Muito embora os poderes "sobrenaturais" possam vir tanto de espiritos rebeldes quanto de Deus no mundo real (e quem se importa, no mundo do entrenimento, aos olhos das pessoas), é muito díficil alguém ter poderes que cheguem ao nível de Moisés, e mesmo o sendo, mesmo Ele podia fazer os sinais que Deus determinava quando Ele determinava.


Não estou hoje dizendo "assistam isso, não assistam aquilo", nem buscando citar nenhuma série em particular, muitas das quais eu já tenho um apego sentimental, embora ciente de que são "impuras" (um bom termo, uma vez que muitas séries tem coisas boas e más, juntas, e dai surge a facil atratividade). Estou apenas indicando para que saibam de cinco elementos danosos e comuns na midia. Como tratar disso tudo, isso veremos quando estivermos cientes e atentos sobre essas coisas.

Gostaria de ressaltar ainda que Narnia, por exemplo, de base cristã (ainda que leve), é um exemplo de história que contém situações de muita violência e até mesmo terror, e não pouco envolvimento com criaturas mitológicas e feitiçarias. Não sei ao certo o que Deus acharia disso. Estou ciente porém que eu, de que o mundo inteiro deveria ser consagrado a Ele, inclusive as midias.


Destaca-se ainda um elemento importante que não foi citado na minha lista, mas que é alicerce de muitas coisas más: O INIMIGUISMO, CRIAÇÃO DE VILÕES PARA CRIAR HISTÓRIAS DE LUTA DO BEM CONTRA O MAL. Isto tem levado o mundo a criar males e males enquanto se brinca com o mal.

Em futuros artigos sobre o tema pretendo falar sobre a criação de conteúdos cristãos e seus desafios, e também sobre diferentes séries de destaque que precisam ser convertidas e sobre a nova geração de deuses e mundos (uma descoberta surpreendente sobre a midia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário