segunda-feira, 9 de julho de 2012

FEMINISMO E MACHISMO BÍBLICO E CRISTÃO - O que eu penso sobre a relação do homem e da mulher.


Não concordo que a instrução Paulina deva ser posta com mandamento para nossa igreja. Nossa comunidade atual não tem mulheres como praticamente um objeto de compra masculino para fins sexuais e reprodutivos. Elas trabalham, e até mais que o homem. Sendo donas de casa, não ganhavam nada, mas agora elas também vem fazendo cada vez mais o que o homem faz.

Se eu não posso aceitar que uma mulher mande em mim, não posso aceitar minha presidenta. Não concordo com isso.

A própria bíblia fala de mulheres profetizas. Mais que isso, o livro de proverbios tem uma mulher ensinando. UMA MULHER ensinando os homens, ensinando principes, reis, e todo tipo de pessoas. Se Elas podem ensinar ATÉ NA BÍBLIA como não aceitarei que ensinem na igreja, como pastoras, ou professoras? É um rebaixamento desnecessário para a mulher.

Já vi casos onde a coisa mais justa seria a mulher ser a lider da casa, e explico: a mulher era a cristã, o marido não. Ela era a que defendia os interesses de Deus e do reino, porém estava subjulgada a autoridade do marido. Isso prejudicou o reino. A força ou tamanho pouco importam hoje, e não é desonroso que uma mulher justa seja elevada acima de um homem não justo, aos meus olhos. Eu acho que isso faz BEM a nós, é ADEQUADO, apropriado.

Sou a favor da cooperação, posso até aceitar o homem como líder, dificilmente eu na minha casa iria não querer ser um líder, mas também não gostaria de ter minha mulher, no fundo, com menos autoridade que eu. Eu quero chegar a um nível que tenhamos a perfeição, e igual autoridade sem causar disputas.

Acho injusta aquelas falas "mulher é emocional, homem racional". Acho que isso é em grande parte cultural, e tem diminuido. Sou emocional, sou racional. Tenho sentimentos fortes, razão forte. É claro que mulheres também são assim. Na minha escola de computação tinha poucas mulheres, mas meu professor comentou que elas costumavam se destacar na criação dos algoritmos (e garanto, é MUITA razão).
Minha professora de lógica na teologia foi uma mulher. Com ninguém eu poderia falar de lógica da mesma forma que com ela. Nenhum homem que eu conhecesse poderia entender e amar a razão como ela. Acho tais pensamentos injustos.

Como feminismo muitas vezes leva a um rebaixamento e zombaria e desvalorização do homem, entendo e concordo que as vezes o termo parece pejorativo, e é simétrico ao machismo. Nós somos complementares, não deveriamos ser feministas ou machistas, em certo sentido, deveriamos valorizar as feminas e os masculinos, e as diferenças, sim, mas penso que o movimento feminista foi muito util socialmente, e ajudou-nos muito.

Tecnicamente, não temos OBRIGAÇÃO no evangelho ou na lei de maltratar a mulher ou rebaixá-la. A lei nem é da nossa época, até fala de escravidão. Considerando que a BIBLIA tem a mulher ensinando na igreja, a instrução de que ela não pode aos meus olhos deve ser anulada, e considerada uma opinião que deveria parecer muito mais justa naquele contexto cultural do que no nosso.

Estou plenamente ciente de que na lei haviam leis sobre mulheres, e elas eram praticamente como escravas. Porém é necessário notar: eram praticamente como escravas! Havia escravidão. A essas diferenças credito uma questão cultural da época (onde, inclusive, a pena capital era muito mais bem vista do que hoje, agora que temos mais valorização das pessoas mesmo criminosas, graças inclusive aos ensinamentos de Cristo).
Não é obrigação do homem rebaixar a mulher, nem é conveniente a mulher deixar o homem dominar a casa fazendo o que é errado aos olhos de Deus. Não sou a favor de guerras dos sexos. Sou a favor da valorização das diferenças, e também das semelhanças. Numa sociedade como a nossa, onde elas não são posses que temos que sustentar (e graças a elas por isso!) temos de dá-las um acordo mais digno de suas obras. Numa sociedade onde as mulheres que mais enchem igrejas e reuniões de oração, proibir elas de serem pastoras aos meus olhos é machismo, mesmo que isso seja apoiado pelas próprias mulheres com base bíblica. Eu tenho uma mulher como SABIA DE PROVERBIOS, nenhum pastor tem maior autoridade que um escritor bíblico. E convenhamos: SÃO ALMAS EM JOGO, NÓS PRECISAMOS DA MÁXIMA AJUDA POSSÍVEL!

Eu penso que isso tudo é fruto de não acompanhar a vontade de Deus, que muda sim com o tempo. Com o tempo, Deus ensina mais e mais de amor e misericórdia, compaixão e justiça. Eu desafio alguém a me dizer que eu estou pecando segundo alguma instrução bíblica. Não sabia que Paulo era o papa e sua opinião era eterna, e até mesmo que ele ainda hoje acharia isso. Aliais, pelo que eu sei, minha igreja não é a igreja de Paulo. Se fosse, eu obedeceria suas ordens por ser sua igreja, se de fato o fosse. Mas nas nossas, só 2 milênios atualizada, nós deveriamos assumir a responsabilidade de julgar segundo o que achamos justo.
Faltou aqui autoridade das pessoas para julgar em cima da instrução paulina, como faltou para julgar acerca do véu, dentre muitas outras coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário