quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Católica - A unica verdadeira Igreja?

Já fiz um artigo com um estudo consideravelmente completo de Mariologia, estudo de Maria.
Busquei mostrar que ela até pecou e que a própria bíblia indica que ela teve relações com José, depois de terem tido Jesus.

Você pode ler este artigo através deste link: Estudo de Maria

Mas deixando Maria de lado por um momento, gostaria de falar de um argumento católico, que impõe a confiança somente nela, e desmerece os protestantes em suas criticas, tratando-os como meros hereges, desobedientes, ignorando a possibilidade da posição da igreja maior estar errada e que o "protesto" protestante seja algo consequentemente justo e necessário, para a melhoria do cristianismo.

Hoje não vou falar da polemica crença da infabilidade Papal, mas sim deste ponto:

A Igreja Católica, como igreja primeira, é a unica verdadeira, a unica certa, e quem não estiver nela está em desobediência a Cristo?

Há quem diga que por ser a maior, ou a "primeira", a igreja católica deve ser obedecida.

Primeiro já quero ressaltar que "primeira" igreja não é.

Antes de termos uma igreja católica apostólica romana a igreja, que não tinha esse nome, já existia, sendo edificada pelos discipulos de Jesus.
Já no tempo das cartas a igreja dividida já tinha problemas de em quem confiavam (por isso Paulo reclamou de que falavam: somos de Paulo ou de Apolos?). Paulo disse que a prova iria testar os ensinos deles, mesmo sendo um dos escritores do que é hoje a bíblia sagrada, não se pôs como ifalivel, antes os lembrou que Cristo é que é a unica autoridade a qual eles deveriam dizer "sou deste", evitando divisões escolares.

1Co 1.12,13
12 Com isso quero dizer que algum de vocês afirma: “Eu sou de Paulo”; ou “Eu sou de Apolo”; ou “Eu sou de Pedro; ou ainda “Eu sou de Cristo”.
13 Acaso Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vocês? Foram vocês batizados em nome de Paulo?
- - -
Apesar dessa intenção de manter o povo unido, as divisões e disputas ocorreram. No inicio do cristianismo houve disputas doutrinarias quanto o pregar para os gentios e o uso da circuncisão. Os debates se fazem as vezes necessários.

- -
Eram 7 igrejas citadas nas cartas do apocalipse. Foram tratadas com o nome de IGREJAS em separado, apesar de terem o vinculo de Cristo. Apesar de todas serem igrejas, diversas foram ameaçadas de ruína caso não se convertessem. Cada igreja foi tratada de maneira independente baseando-se nas suas obras e na doutrina que seguia, não em quem a evangelizou, ou qual era o seu pregador atual, mas sim a obediência a Cristo.

Ora, enquanto uma era ameaçada, a outra era elogiada NÃO SEGUINDO A DOUTRINA DA OUTRA IGREJA. A falta de total concordancia das igrejas primitivas em erros poupou diversas delas de fortes criticas. Foram convidadas a perseverar no bom caminho que seguiam de forma independente das igrejas que estavam defeituosas.

Se a igreja protestante e as igrejas primitivas, porém, seguindo apenas o líder da igreja, e se submetendo a todas as suas ordens, obedecessem as regras de uma igreja errada (e não adianta dizer que isso não existe se está nas cartas!) então seriam contados com a unica igreja de uma vã doutrina.

Reparem novamente: Cristo não reclamou de haverem diferentes pensamentos de igrejas, diferentes doutrinas e obras desde o inicio, reclamou dos ERROS em cada igreja, independentemente de serem sua igreja ou não.

- -

Há quem diga que a igreja católica merece respeito porque é a "primeira", não uma "seita".

Devo dizer em primeiro lugar que tal argumento é por si só uma falacia. Ou seja, um argumento enganoso.
A primeira pessoa a falar não é necessariamente a certa, a primeira a pregar não é necessariamente a que prega melhor. Se a igreja católica está certa só por ser "a igreja mãe, original", então porque a própria igreja católica pede perdão pelas obras do passado?

Que teria sido melhor, na época dos pecados da igreja: obedecê-la fielmente ou discordar dela, para obedecer a Cristo?

Nos coloquemos novamente no lugar de membros das igrejas primitivas. As cartas diziam que haviam alguns fiéis em uma igreja, por exemplo. Eles foram tratados com diferencial dos outros.

Ap 3.3
 Lembre-se, portanto, do que você recebeu e ouviu; obedeça e arrependa-se. Mas se você não estiver atento, virei como um ladrão e você não saberá a que hora virei contra você.

Ap 3.4 
“No entanto, você tem aí em Sardes uns poucos que não contaminaram as suas vestes. Eles andarão comigo, vestidos de branco, pois são dignos.

Reparem no tratamento individual, pelas praticas justas, não no titulo de "sou da igreja" ou não.

- - -

Ainda, os católicos insistem que por serem a primeira, as outras são seitas, e heresias.

Um ABSURDO contraditório com a bíblia, porém.

A religião dos judeus era a "original, verdadeira, tradicional" antes de Cristo. Os que se apegaram a tradição, porém, ignorando as palavras de Jesus, se perderam dele, não o acompanharam vindo ao cristianismo, antes ficaram tratando o cristianismo como uma seita.

Se o cristianismo é por si uma seita do judaísmo, como se justificar neste argumento sendo católico?
Há de se dizer "não, mais ai o cristianismo era que estava certo". Pois bem, neste caso, os católicos devem fazer o mesmo, ao invés de dizer "é a católica, não uma seita" e tratar protestantes como hereges como os judeus trataram, devem provar que a DOUTRINA deles está certa.

Bíblicamente porém, dizer-se que é católico e por isso está no caminho certo em oposição aos protestantes é semelhante a um judeu que não aceita o messias dizer "sou filho de abraão, não como os gentios cristãos", é se engrandecer num título.

- -
Deus HUMILHOU os que se seguravam nos titulos de judeus e filhos de abraão. Em apocalipse se fala deles como "que se dizem judeus, mas não são". Jesus quando discutia com injustos dizia: Se FOSSEM FILHOS DE ABRAÃO não agiriam assim. "sois filhos do diabo", disse ele, por causa da mentira, não ligando para o fato de se dizerem crentes na RELIGIÃO ORIGINAL TRADICIONAL, ou em serem FILHOS DE ABRAÃO, DA SANTA NAÇÃO DE DEUS DE ISRAEL.

Tais títulos pouco importaram-lhe. Em que nós, gentios, devemos nos gloriar, se nem na carne temos glória, então? Porque se nem somos da descendencia carnal de Abraão, em que vamos nos gloriar senão no espírito como de Abraão, espírito de justiça?

- -

Por fim, mas longe de estar dando o meu pior argumento, diante da fala contraditória com a bíblia de que é obrigação seguir a "igreja principal" para ser crente, porque a "principal é que segue a cristo, porque são os discipulos de Jesus..." ou algo do tipo, desmerecendo os que não seguem, vide a passagem bíblica, falas de Jesus:

Mc 9.38 “Mestre”, disse João, “vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos.”
Mc 9. 39 “Não o impeçam”, disse Jesus. “Ninguém que faça um milagre em meu nome, pode falar mal de mim logo em seguida,

Mc 9.
40 pois quem não é contra nós está a nosso favor.

Se Jesus repreendeu os discipulos por estarem exigindo que seguissem eles, e isso na época QUE CRISTO ESTAVA COM ELES EM CORPO FÍSICO, então porque os católicos repreendem a igreja protestante por não segui-los dizendo-se que só eles são a igreja verdadeira?
Jesus não impôs sobre os que o seguiam o estarem seguindo os discípulos de Cristo. Não é justo um católico, que se diz de Cristo, agora reprimi-los por não se submeter a ela. Nem sequer sabemos de divergencias teológicas nessa história, e Cristo permitiu que o homem seguisse sozinho! Quanto mais nessa hora, onde há divergencias?

Lembrando que Jesus não reprimiu as 7 igrejas por terem diferentes obras e doutrinas, reprendeu-as nos seus respectivos ERROS.

O argumento da autoridade não prova que a igreja católica está certa ou deve ser seguida. Estejam disto cientes, e julguem doutrina por doutrina.



Nenhum comentário:

Postar um comentário