quinta-feira, 23 de maio de 2013

Senhor - Justiça Nossa... injustiça nossa



Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA. 
Jeremias 23:6

Justiça, uma palavra sobrecarregada de conceitos. Igualdade, reciprocidade, direitos, equilibrio, valores minimos, a ausência de injustiça ou sofrimento... Há muitos conceitos para uma palavra que não combinam entre si

Em meus estudos sobre Deus e justiça percebi que Deus não é justo sobre toda e qualquer definição.
A principal caracteristica divina neste ponto é sua soberania, que o autoriza para fazer praticamente qualquer coisa.  Outra caracteristica, porém outra quase constante divina é a justiça da reciprocidade, ou recompensa, ou vingança, como queiram chamar. A idéia de recompensar bons pelo bem e maus pelo mau.

Muitos, não poucos, são os que se escandalizam com as ações divinas especialmente no velho testamento. Eu inclusive. Tem sido causa de muitos virarem ateus, inclusive, sendo uma de suas principais munições.

Meditando sobre a evolução dos mandamentos seguidos ao longo da bíblia, perecebi especialmente com o evangelho um desenvolvimento de uma progressão moral feita pelo divino. Além do "olho por olho", ir além dando a outra face, é um exemplo disso.

Assumindo uma posição não incrédula com relação a justiça de Deus e seu conhecimento ético, a conclusão é: Deus já sabia, sempre soube, de padrões morais mais elevados do que revelou, mas revelou antes um e depois outro.

Com isso minha mente foi se abrindo a um entendimento. Hoje creio que Deus não gosta de machismo e inferiorização da mulher, escravidão, apedrejamentos embora em certos momentos tenha apoiado tais coisas. Sim, há passagens no velho testamento que nos trazem falas de Deus que indicam apoio ou aceitação de coisas como essas e outras.

Então qual a explicação? A explicação que me surgiu é a seguinte: Deus ensina coisas com o tempo e dá instruções melhores e melhores. Deus não dá o máximo de sua sabedoria. Ele reage a nossos valores.
Isso é surpreendente porque se já eramos injustos achando que a lei era expressão máxima da sabedoria divina, imagina sem ela? Porém é isso que recebemos no evangelho: uma instrução de buscar a Deus acima da mera instrução da lei, na busca por uma moralidade perfeita.

A lei dada a israel é boa em muitos aspectos, mas não é expressão máxima da justiça.

Porque Deus faria isso? Devemos entender que Deus embora instrua um combate contra o mal, permite que o mal exista e isso por longos periodos. Ele é tolerante a maldade, em certo sentido, ainda que demonstre grande aversão a ela no sentido instrutivo geralmente.

Então perecebi o quanto Deus se parece com os homens. Como sua justiça se parece com a nossa. Não incrédulo por isso, ciente da existência do mesmo, notei que Ele parece conosco, na nossa justiça. Nos nossos governos. Nós criamos leis injustas com valores culturais que são errados, e depois nós as modificamos. Nós toleramos injustiças, e legalizamos coisas não ideais com base nos nossos próprios valores. Nós ao invés de ensinar a perfeição instruimos aos poucos dando diversas ordens que estão muitas vezes muito a frente do nivel do povo em geral, mas mesmo assim com algumas coisas que são baseadas na ética temporal.

Nós somos assim.

Se Deus é justo no sentido de ser recompensador pelas nossas obras, como Ele deveria se portar? Considerando que a humanidade sempre foi um tanto assim desde antes de Israel, com o código de Hamurabi que legalizava ações violentas em recompensa por crimes de violencia?

Uma forma de Deus se portar, em recompensa a nossas obras é nos tratando INJUSTAMENTE, assim como nós tratamos a nós mesmos. Sim, isso é uma forma de justiça. A recompensa de um tratamento injusto é injustiça. O tratamento inadequado da nossa parte no sistema de uma recompensa recebe o mesmo.

Comecei este artigo citando um nome de Deus "Justiça Nossa". Em palavras mais comuns "O Senhor é a Nossa Justiça". Se Deus de fato o for... Quão bom Ele será? Se Deus nos tratar segundo nossas obras, quão justo Ele parecerá?

Nós punimos os maus, mas quando Deus o faz nos chocamos. Nós Criamos leis e exigimos que sejam obedecidas apesar de estarem num livro que muitos nem leem, mas se Deus o faz Ele é injusto. Nós criamos leis inadequadas e depois as mudamos. Quando Deus faz uma lei e depois a desautoriza, como sentimos?Como se não houvesse justiça. Quando vemos uma justiça temporal, aparentemente torcida juizos de Deus pensamos "Deus não existe" assim como nossa justiça de tão torcida que é, de tão temporal e imperfeita que é também faz parecer que não existe justiça.

Se Deus é a nossa Justiça... Ele é justo? Ele existe? Como creriamos em um Deus que nos trata segundo nossa justiça se não somos justos? Seria como achar que um espelho é bonito, mas sendo a si próprio feio, e não entendo como um espelho funciona.

Se Deus nos tratasse sempre segundo nossas obras, sinceramente acho que estariamos bem encrencados...

Se eu estiver certo, Deus pode agir de modo muito, muito ruim em muitos aspectos, e ainda assim ser justos... E considerando que Ele é a Justiça Nossa, e que isso encaixa com muitos dos juizos de Deus na bíblia a varias nações... A aparente injustiça de Deus pode ser a injustiça nossa... E Ele permance digno do seu nome: O Senhor é a nossa justiça.

Por isso me alegro que o modelo de Deus, Jesus Cristo, seja antes a nossa justiça, para que sendo tratado segundo a justiça de nossas obras em imitação da do justo, que sofreu injustiça até a morte, mas foi justo, superemos também toda a injustiça que nos vem, e vençamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário