sábado, 8 de junho de 2013

Aborto e direitos do nascituro. Argumentos a favor da vida, e da valorização da mulhr

Uma leve introdução a noção de direito e justiça, primeiramente:

Você tem direito de ir e vir. MAS PERA! na minha casa não, eu tenho direito de moradia privada
Você tem direito a conhecimento. MAS PERA ai! não pode ficar me espionando na minha própria casa. Eu tenho direito a privacidade.

Você tem direito de fazer o que quiser, Mas pera, não pode me matar! Eu tenho direito a vida

O aborto é uma supervalorização do direito de uma adulta, desprezando o direito de uma criança.
Pelo direito de controlar o próprio corpo querem permitir que a criança crescendo no utero (que não tem culpa nenhuma) tenha O MESMO DIREITO de controlar o corpo violado, e ainda o direito A VIDA.

Agora raciocina, se você consegue: o que é mais importante: controlar o corpo ou vida?

Olhos carnais, irracionais, desprezadores egoistas ignoram a vida que não vê, fazendo vista grossa para um assassinato. No caso de irmãs gemeas umas colada na outra apenas quando a vida de ambas está em risco que se aprova matar uma para salvar outra, não se permite matar uma assim atoa só para a outra controlar o próprio corpo.

Eai?

O caso de estupro é estatisticamente muito pequeno e quem usa esse argumento para defender o aborto vagamente faz uma tremenda manobra abominavel, se aproveitando de mulheres violadas para esconder um exercito de mulheres mau instruidas ou irresponsaveis.

Em ambos os casos, a mulher estuprada é vitima, mas não da criança. Se um homem violasse uma mulher e depois prendesse com uma algema uma criança a mulher não poderia esfaquear a criança que não tem culpa para ter o controle do próprio corpo. AMBOS são vitimas. 

Nessa circunstancias, segundo a lei, nem o ASSASSINO pode ser morto. E assassinar a CRIANÇA INOCENTE pode?

Criança não é extensão do corpo da mulher, eles estão ligados, mas ambos ficam ligados, um cooperando com o outro, NÃO É um corpo só. Genéticamente não são, morfológicamente não o são. Um zigoto de casal negro colocada no utero de mulher branca nasce a criança NEGRA (e vice-versa), o corpo que nasce é fruto de SI PRÓPRIO, e o desenvolvimento da psique humana é um processo gradativo, no próprio utero a criança já pode sentir medo e dor.

Ou seja, você é uma pessoa tola que está reclamando de uma atitude nobre dos evangélicos de defenderem os direitos de AMBAS as pessoas, tentando cooperar para que mulheres estupradas possam sustentar a si e as crianças. Ambas são vitimas, e os evangélicos estão ajudando ambas. E se não quiser, bota para adoção, não assassina.

A coisa que mais traumatiza a mulher, em qualquer caso é o aborto. Isso causaria danos psicológicos na mulher tremendos, principalmente quando ela raciocinar mais tarde e se tocar que ela matou uma pessoa que não é assasino.

Tem até livro de mulher violada e que criou a filha, e a ama. Tem gente que sabe AMAR, tem gente que só ama PARCIALMENTE. é o que você faz. Amor parcial é base do egoismo, base da injustiça. Tem de valorizar uma pessoa sem esquecer da outra. A prioridade é da criança, pq o direito a vida é muito superior, e o de controlar o próprio corpo também é violado.

Um comentário:

  1. Como assim? Você está dizendo que tanto o violado como o violador são culpados?
    e ainda que "O caso de estupro é estatisticamente muito pequeno"? Añh? como? Se você liga no jornal está passando casos de estupros e mais ainda de PEDOFILIA. Então, vendo por esse lado, o caso de estupro não é nada de muito pequeno.

    A mulher violada não a vejo como culpada. Afinal, ela não pede para ser violada. Ela não propicia para que isso ocorra, ou seja, não é vulgar. Ou será que somente aquelas que são vulgares é que são estupradas? Não, claro que não! Fato é que até moças evangélicas, que se vestem DECENTEMENTE são molestadas por infelizes
    maníacos!!!

    ---

    Indo para o assunto chave do texto, o aborto, opino que é um tema delicado. Não apoio o aborto, mas fico pensativa quanto a manter a gravidez. É complicado. No caso manter a gravidez de incesto, por exemplo, é terrível!!!!! abominável!!! Nossa! Não consigo nem imaginar uma mulher carregando uma criança por 9 meses...é uma tortura para ela! Sem falar depois da criança nascer e perguntar para a mãe: mamãe, quem é meu pai? Nossa! e a resposta? a mãe vai se sentir como? É muito delicado. Mas mesmo assim, continuo a não apoiar o aborto. A alternativa que resta é aguentar, mesmo sofrendo, e caso a mãe não queira cuidar da criança, colocar para adoção. Enfim...é complexo!
    Que Deus tenha piedade dessas mulheres. É isso que eu desejo.

    ResponderExcluir