sexta-feira, 7 de junho de 2013

Casamento Gay, adoção e direitos - Manual pratico de como ser contra o casamento gay sem ser injusto

O mundo é um lugar complicado. Se acha cada pessoa de pensamentos incomuns... Eu sei, sou uma delas.
Vi uma noticia hoje que gostaria de comentar.

Muitos homossexuais (e até heteros que apoiam) tem lutado pelo casamento gay (que foi aprovado por um orgão que pelo que ouvi não tinha autoridade para aprova-lo). Outros, cristãos em boa parte, se opõem a pratica, sem saber argumentar muito bem aos meus olhos sobre como ser justo com o estado laico.

Surpreendente é o fato que agora vejo comprovado, que muitos homossexuais não querem o casamento homossexual.

lider de movimento homossexual diz ser contra matrimonio gay e adoção para eles

Na nossa sociedade vivemos num estado laico. Podem me acusar de fanatismo, mas não é segredo que eu não concordo com isso, sou a favor de um estado cristão porque acho que o cristianismo é certo e como tal deve ter seus valores fundamentais obedecidos.

Achei curioso e fonte de bom argumento para a causa da adoção o que essa mulher fala sobre os filhos adotivos, que é bom que eles tenham pais heterossexuais, e que isso é saudavel e ela o reconhece mesmo sendo homossexual.

Achei porém estranho a mulher opõr-se ao casamento gay. Eu me oponho, mas é lógico do meu ponto de vista já que considero a pratica homossexual em si errada e que consequentemente deve ser desincentivada tanto quanto possivel. Não tenho compromissos com a idéia de que as pessoas tem direito a liberdade de preferencia sexual, porque não acredito nisso. Mas vir dessa mulher esse pensamento, com base no fato de que eles não podem ter filhos é aos meus olhos injusto!

Casamento não é feito somente para procriação. Casamento pode se referir a uma coisa do governo ou religioso. Ambos estão associados culturalmente a honra e respeito e reconhecimento como coisa correta (razão que levou cristãos a se opor ao casamento feito por outros religiosos na india, e razão que leva também cristãos a se oporem ao homossexual nos dias de hoje). Porém não deve se entender que casamento implica em dever de ter filhos. Casais inférteis são casados, pessoas que fazem cirurgia para não terem mais filhos são casados, e o que dizer dos casais que já alcançaram uma idade onde a mulher perde a fertilidade? Casamento não é sinonimo de união para ter filhos, embora é coveniente para fins educativos e de criação dos filhos que os filhos só nasçam ali e não filhos de sabe-se lá quem.

Estou falando isso porque gosto de tudo esclarecido, tudo com uma busca pela lógica. Já recheei esse blog com argumentos contra a pratica homossexual. Sou contra o casamento gay. Mas sou contra usar esse argumento exclusivamente como base. Acho que a homossexualidade, assim como o sexo sem casamento, relações com varias pessoas, etc é errado e que até o casamento futil de pessoas que fazem sexo sem casamento e depois casam-se, adulteram livremente, divorciam-se sem razão, deveriam ser proibidos (não o falo dos que pecaram e quiseram consertar, mas dos que nunca ligaram e só quiseram a cerimonia). Mas isso porque defendo um SISTEMA organizador da sexualidade no qual ela fica no casamento e só no casamento, e defendo isso porque acho sadio.

Se você é, assim como eu, contra o casamento homossexual você deve argumentar melhor do que dizer "eles não podem ter filhos" para opor-se ao casamento, pode usar isso para mostrar que é um tipo de sexualidade criticavel e inferior ao menos em um aspecto. Mas se você quer se opor ao casamento homossexual deve primeiro reconhecer que:

- Você está dizendo que uma pratica sexual merece não ter direitos de suporte como outra, ou seja, que é favor de uma diferenciação da valorização de praticas sexuais SIM.

Deve portanto reconhecer que está inferiorizando uma pratica, classificando-a indigna de direitos. Deve logo argumentar portanto diante do principio afirmado de que todas as pessoas tem direito a escolher qualquer comportamento que quiserem que isso NÃO é verdade, que o governo criminaliza pedofilia, estupro e exibicionismo em local publico sendo que essas são preferencias sexuais de alguns, e que NÃO cria casamento para muitas outras preferencias sexuais como a poligamia ou o casamento com animais, e que portanto essa afirmação de que todos tem os mesmos direitos independentemente da sua sexualidade SEMPRE FOI E DEVERIA SER CONSIDERADO FALSA, e que na verdade o que define o que é aprovado como legal e o que é oficializado como casamento é aquilo que O GOVERNO APROVA com base no seu próprio BOM SENSO que inclui sua valorização a constituição. Acho que poucos de nós são a favor do casamento com boneca inflavel e coisas do tipo, por mais que essa interpretação da constituição nos leve lógicamente a isso.

Por fim você deve, assim como eu, mostrar que a homossexualidade é de alguma forma criticavel e desincentivavel, que pode fazer males a sociedade como perda do dimorfismo sexual, incentivar a pratica homossexual a outros, que a infertilidade do comportamento pode causar tristeza e portanto não merece incentivo, ou alguma outra coisa do tipo.

É pedir para ser humilhado afirmar apenas "ah, não quero casamento gay" porque "eu sou gay e nem preciso". Afinal, você pode não querer, e outros sim. Você deve defender se é JUSTO para quem QUISER.

Você deve sempre ficar do lado do que é certo, ok? Julguem como gostariam de ser julgados. Já que é para julgar, como eu estou fazendo, julguem para serem julgados da mesma maneira. É o que busco fazer.

Um comentário:

  1. Oi, Luis.
    Lendo o seu texto o achei um tanto quanto precipitado ao dar o título " Manual prático de como ser contra o casamento gay sem ser injusto". E mais, eu, sinceramente, não vi esse manual. Achei que você iria utilizar argumentos de cunho cristão, mas não foi isso... Enfim, assim como você, sou contra o homossexualismo e repudio o casamento gay e a adoção por casais homo afetivos, PORÉM há uma coisa que eu faço e tiro de letra: RESPEITO-OS.
    Não gostei quando você disse que devemos julgar como gostaríamos de ser julgados. Julgar não é correto. Então, VOCÊ deve mudar o seu conceito e fazer como você mesmo disse: FICAR DO LADO QUE É CERTO e assim, não JULGAR. Lembre-se que você é humano, passivo ao erro. Não julgue. Pratique o amor e o respeito ao próximo.
    Ahh, uma dica: acho que você deve colocar acento nas palavras, pois você escreve bem, no entanto, falha nesse sentido. Melhore, ok?
    Fica com Deus. E a paz para você. :)

    ResponderExcluir