sexta-feira, 14 de junho de 2013

Dizimo é mandamento?

Estão debatendo bastante sobre a questão do dizimo atualmente. É uma palavra que ateus amam citar para chamar pastores de bandidos.

Mas dizimo é mandamento?

Na lei de Israel havia varios mandamentos, um deles era o dizimo, ele era dado aos sacerdotes. Antes da lei o dizimo também existiu, mas como compromisso voluntario. No novo testamento Jesus chega até a mandar continuar dando o dizimo, mas sem esquecer coisas mais importantes como misericórdia e juizo. Mas jamais disse que era de outros senão dos sacerdotes. Nas cartas apenas ofertas voluntarias são pedidas "e que não se dê por tristeza ou constrangimento, necessidade (como obrigação)", e o dizimo é obrigação. Na lei Deus falou ao seu povo da época que estava sendo roubado porque não lhe davam os dizimos e ofertas.

"Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas" Ml 3:8.

Alguém, a favor do dizimo argumentou muito inteligentemente agora "ei, vocês que são contra a obediencia do dizimo como um mandamento da lei que foi abolida: na lei também diz para dar ofertas, então porque dão?"


Sou obrigado a tomar partido aqui, e meu partido é a posição mais desagradavel de todas: dê o dizimo por obediencia a igreja, e não, não pode afirmar pela bíblia que o dizimo é uma obrigação para o cristão, e não, isso não significa que Deus não quer que você dê o dizimo e que Ele não o vai considerar pecando se não o der. Mas que bíblicamente não há autoridade em quem usa essas passagens, não há.



O dizimo é da lei sim. Foi transferido em algum momento na cultura cristã para ser usado semelhantemente ao que era dos sacerdotes para os outros lideres religiosos conteporaneos. Embora técnicamente, bíblicamente falando não temos autoridade para impor essa transferencia.

Nas cartas é falado de ofertas, sim, ofertas voluntarias, não fala de dizimo. Porém, ofertas voluntarias não são coisas que só se pode dar a sacerdotes, afinal sempre se pode dar esmolas.

Embora não obedeçamos a lei como um compromisso com a lei em si, muitas das coisas nela escritas reconhecemos como necessarias de obedecer até hoje.

Sou dizimista, teológo, poderia até eventualmente me beneficiar do dizimo, mas não vejo base bíblica para impor o dizimo como mandamento. Obedeço, por obedecer a igreja e não apenas a bíblia. Isso falo da obrigação, mas claro que também daria alguma coisa se não fosse obrigado com fins de ajudar a obra, voluntariamente.

A dura verdade é que o dizimo é posto com mandamento na igreja com dolo caso não se obedeça com base em passagens do dizimo que era dos SACERDOTES, não nossos. Para os evangelistas nunca foi defendido na bíblia nada exceto ofertas voluntarias, e a cultura resgatou isso. Não que não possamos obedecer, não que até Deus não possa querer que demos o dizimo hoje, mas que bíblicamente não temos autoridade para fazer o discuso que fazemos, não temos.

Você pode até torcer o nariz como eu torci, porque a situação é de fato complexa, mas o fato é esse: embora hajam semelhanças entre o ministério dos pregadores e dos sacerdotes não temos autoridade nenhuma para a transferencia. Mas da mesma forma não podemos afirmar que Deus não quer que demos o dizimo hoje em dia por tradição. Também não o podemos afirmar com segurança que sim sem alguma base.

Porém ainda acrescento um fato que já ouvi de pessoa que estava com problemas e que Deus teria falado a pessoa "pergunta do dizimo".

No final das contas a posição mais segura para os cristãos é: dizime, nem que seja por obediencia a igreja e porque Deus pode não gostar. Mas aos pregadores é: não acuse de ladroagem usando passagem bíblica que se de fato obedecida deveria fazer os crentes irem procurar algum sacerdote de israel para dizimar a ele. E a todos: dominem do assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário