segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Como é Deus moralmente?

sim, você pode descrever e criar uma definição parcial de Deus com base em suas obras.

Deus é, em definição rigorosa que se é bom se faz o bem e mau se faz o mal: parcialmente bom, parcialmente mau, não totalmente bom, nem totalmente mau

Instruidor basicamente do bem, mas adptando-se a mal em contextos culturais menos justos, 
altemente tolerante a existencia do mal na pratica, embora instruidor do seu exterminio,

A maior parte do tempo, apesar de instruir ao bem, deixa o mundo numa situação praticamente anarquica, uma verdadeira selva. Sua criação de seres vivos que sentem dor, se matam uns aos outros, etc mostra que Ele não se abstem de fazer o mal, o que é coerente com Is 45.7

Da mesma forma, porém, Ele faz o bem.

basicamente, Ele deixou-nos capacidade basica de desenvolvermos um mundo melhor, não porém de não experimentarmos os sofrimentos frutos das injustiças do mundo.

Ele usa o mal como recurso para punir os maus e provar os bons, dentre outros.
Faz juizos que não são 100% exatos, como por exemplo punir uma nação por pecados de uma nação, o que pode atingir individuos. 

Sua valorização a vida humana e direitos humanos é baixa. Porém, Ele é o maior mestre moral e de valorização dos direitos humanos que já conheci. MUITO "faça o que eu digo, eu porém sou soberano".

Em sintese, um cara que nos deixa no meio da trinxeira entre um paraíso e inferno, mas nos deu capacidade de consertarmos esse mundo aos poucos, gradativamente, se fizermos basicamente o que Ele manda. De modo que Ele manda muito coisas que são pro nosso próprio bem, e assim a punição pela desobediencia acaba sendo muitas vezes natural, ainda que inexata.

Permite o justo sofrer como Jó, e mata inocentes, bebes, etc. Promete eventualmente fazer justiça, de modo que nesse tipo de definição de justiça (promete uma recompensa) Ele pode permancer séculos sem responder e ainda assim ser potencialmente justo, já que não tem prazo limite.

Exige confiança Nele, busca Dele, temor e obediencia a Ele. Porém seus mandamentos principais incluem amar o próximo, buscar fazer sempre o que é justo, etc, não são maléficos.
Muitos porém já foram, em contextos mais barbaros, na lei a qual não estamos submetidos, mas fomos livres do cumprimento de instruções que segundo Jesus não são expressão maxima da sabedoria divina, como no caso do divórcio que foi concedido pela dureza dos corações.

Não posso dar muito mais detalhes, mas posso resumir nisso: uma moral de sistema "fins que justificam meios", e uma imposição do trabalho de consertar o mundo, mesmo que demore, Ele mesmo não o faz, mas ajuda quando quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário