sábado, 19 de outubro de 2013

O Vento - Figuras bíblicas



da série de interpretação de figuras bíblicas, quero falar do simbolo de vento.
Na minha opinião, se esta interpretação estiver certa, é uma das demonstrações maiores da beleza e profundidade secreta da bíblia, que se revela extremamente poética, e coerente, como em outras figuras mencionaveis como da luz e trevas e da agua viva.


Espírito Santo: O Vento, o sopro, o folego

Espirito Santo é o vento

}  Vento é um símbolo do Espirito Santo
}  Dizem que as palavra originais de espírito ("ruach" em hebraico, que soa como o sopro, e "pneuma" em grego, raiz de palavras como pneu, pneumonia e pneumático) também significam “fôlego”, “vento” ou “sopro”


Jesus certa vez soprou nos seus discípulos e disse “recebam do espírito”

E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.

Joao 20.22

Interpretação:

}  O Espírito Santo também é conhecido como “O Espírito da verdade”.
}  Há 2 conceitos para espírito: agente espiritual (Deus) e a essência ou natureza.
}  O termo “Espírito Santo” pode se referir a natureza de Deus.


}  O espírito santo é o espírito da verdade. Deus é um espírito, e quando Jesus está ensinando o espírito Dele, que é o espírito de Deus, é passado aos discípulos.
}  O Espírito é passado através das falas, do som, no ar. Assim, é um tipo especial de sopro.
}  Assim o ato de Jesus de soprar nos discípulos é um símbolo do que Ele já vinha fazendo o tempo todo: falado, "soprado", neles do seu espírito.



}  O termo “espírito” como “sopro” ou “fôlego” faz portanto sentido também, porque Jesus através da sua palavra vinha empurrando dentro deles o seu espírito como um sopro.
Como quem faz uma respiração boca a boca, enchendo os pulmões, Jesus empurrava o seu vento através da sua boca até os ouvidos, enchendo os corações para que vivessem, porque não tinham o fôlego da vida.

O espírito da verdade nos enche o coração.

Nem todo vento é positivo, porém. Existem ventos de doutrinas que sopram pessoas para lá e para cá, levando-as ao erro. O vento do espírito da verdade nos leva à verdade, enche da verdade nosso coração.

Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva.

2 Pedro 2:17

Em outros momentos, temos passagens bíblicas que por uns são traduzidas como folego outras como espírito, mas talvez para entendermos a profundidade do sentido devemos considerar o trocadilho dos termos originais.
E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.
Gênesis 2:7

Nesta passagem vemos que o homem, como uma alma vivente, ou ser vivo que respira, é criado quando Deus lhe sopra o folego de vida, ou espírito. Devemos entender que é assim que os hebreus compreendiam o texto em tempos antigos, na sua profundidade.
Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos.
Gn 6.3

Esta outra passagem sobre a ira de Deus na época próxima ao diluvio também podemos compreender a idéia de Deus afirmar que nem sempre habitaria para sempre o folego de vida de Deus.

Ainda, nesta famosa passagem a seguir da profecia dada a Ezequiel, temos a fala aos quatro ventos (que indicam provavelmente as quatro direções, norte sul, leste e oeste, e com isto a totalidade de todo o vento):
E ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor DEUS: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam.
Ezequiel 37.9

Dizer ao vento que viesse dos quatro ventos é uma forma de dizer portanto que viesse o folego de vida, o ar, o espírito da vida, de todos os lugares. Assim o profeta ordenava aos próprios ventos que viessem de toda parte. Como os tradutores não tem uma palavra com a ambiguidade, colocaram o termo "ventos" para os quatro e "espírito" para o vento. Porém não devemos perder o sentido raiz, que Deus quer que entendamos o espírito como uma espécie de vento. Note-se ainda que o Espírito da verdade é onipresente, assim como os ventos, o ar envolta de toda a terra, sendo portanto um excelente símbolo para representar a essencial da vida que Deus quer recebamos.
E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.
Atos 2.2

O batismo com o espírito santo com seus dons veio junto a um forte e notável vento. Não sendo o único símbolo, deveríamos porém não ignorar que este é o mais fundamental simbolo do espírito santo já que é a própria palavra "espírito" que significa vento.

Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
1 Coríntios 15:45

Notemos que com a presença do trocadilho em mãos o sentido do verso é muito mais profundo. Adão foi feito um ser que respirava, Jesus, o ultimo Adão, era ele próprio o ar que deveria ser respirado, o próprio folego de vida que adão precisava



Por fim, temos que o próprio Jesus falando com naturalidade que pessoas precisam nascer do vento.

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?
Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho.
Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.
João 3:5-13

Jesus fala o que comumente é traduzido como "nascer da água e do espírito", quando se poderia dizer "agua e vento". O  texto com o termo vento em todas as passagens ficaria:

 Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Vento, não pode entrar no reino de Deus.
O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Vento é Vento.
Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Vento.
Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?
Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho.
Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.

Repare-se que o trocadilho diz que quem é nascido do vento é vento, quem é nascido do espírito é o espírito. A carne, o corpo, é fruto do corpo, mas o folego, o sopro, esse vem do folego, do sopro. Assim como a matéria advêm da matéria, e a energia da energia, Jesus fala sobre a necessidade de nascer, não um corpo, mas nascer de novo como quem morreu, como da profecia de Ezequiel, daqueles corpos completos, mas ainda não nascidos novamente, não vivificados, pois ainda não se lhes soprou o vento de vida.
O ato de Jesus portanto de soprar nos discípulos e ordenar-lhes que recebam o espírito, ou que recebam o vento, é uma ordem de receber o folego de vida, sem a qual não poderão viver plenamente. Jesus estava com esse ato, ressuscitando-os dos mortos, e trazendo-os a vida espiritual, a vida não do corpo, mas do sopro de Deus, natureza de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário