domingo, 1 de dezembro de 2013

O que é o amor?

O que é o amor? Como se define cientificamente o amor de uma mãe ou pai por seus filhos?


Resposta:
Em uma palavra:
Valorização.

Amor é valorização, basicamente.

Existe o GOSTAR, que é ligado a sensação de sentir bem, e apreciação daquilo que faz vc se sentir bem, que é chamado tb de amar (como: eu amo pizza), e existe o valorizar.

Um amor não superficial não é somente de gostar, mas de valorizar. Valorizar a felicidade da pessoa como algo bom, e a infelicidade como ruim, valorizar seus desejos, vontades, etc. Caso contrario é amar ela como se ama um vaso que possui, aquelas coisas que as vezes se diz "isso não é amar".

O valorizar dessas "partes" de uma pessoa é mais amar do que gostar somente da aparencia, ou gostar de alguém. Porém é comum vincular o gostar com o amar, o que faz sentido, pq geralmente as pessoas valorizam as coisas que lhes fazem felizes, e odeiam o que lhes incomoda (o que detestam).

É comum, para explicar amor, dizer coisas como "ter compaixão", "por-se no lugar do outro".
Isto é, na verdade, uma tecnica para alcançar a valorização correta. Amar o próximo como a si mesmo funciona bem se vc se põe no lugar do outro, valorizando os desejos, felicidade, bem estar etc da pessoa como valoriza o seu próprio, gerando equilibrio.

O amor é, teológicamente falando, porém, em 1Co 13 tratado como algo ainda mais profundo que isso que eu citei. O amor é bondoso, benigno, folga com a verdade, etc. No caso, o amor descrito é uma coisa muito mais rica que o amor no sentido de valorizar somente. Esta acrescido aos conceitos que falei, o possuir de uma série de virtudes, de qualidades, que fazem ser melhor (não se portar com idencencia, não se irritar, etc).

Em certo sentido, amar, valorizar, implica em buscar amar e valorizar mais e mais. Amar pode implicar até em detestar algo. Como um pregador disse: amo crianças, logo odeio aborto.
O amor correto acaba exigindo uma correta escala de valores, valorização.
O desprezo é falta de valorização, e falta de amor. O ódio, é valorizar não a felicidade, mas o sofrimento do outro. Assim o ódio se revela como feito a partir do conceito inicial de amor, valorização, mas invertido na ordem, sendo algo como de polaridade negativa assim como o gostar e o detestar. Amar envolve fazer o bem, naturalmente, e portanto a busca de bondade, virtudes, qualidades, faz muito sentido a quem ama. Assim, amar bem acaba implicando em fazer justiça, uma coisa correta, coerente e equilibrada. O amor de qualidade e a justiça de qualidade são casados

Fonte(s):

Sou teólogo, estudei um bocado o tema, e ainda estudo =)
Boa pergunta essa viu? vale uma estrelinha

Nenhum comentário:

Postar um comentário