sexta-feira, 2 de maio de 2014

Carta de pesadelo a rede globo

Tive hoje, no dia 02 do 05 de 2014 um terrível pesadelo envolvendo a rede globo.
Acordei ainda de madrugada, e resolvi escrever.

Sonhei que eu escrevia um texto. Uma carta. Longa, longa o suficiente para não ser terminada até o final de uma noite inteira.
Nela eu defendia meus valores contra a homossexualidade.
Enquanto eu via pessoas como Silas  Malafaia e a igreja defendendo o orgulho de família e macho e femea eu vi outra visão. Na verdade, rede globo, existe muitas pessoas defendendo isso mas eu praticamente só via o Silas porque a família e a igreja não eram grande e visíveis como ele. Estavam por trás. Nós estamos. Por trás da mídia, da TV, dos gigantes,pessoas como você

Em meu sonho eu escrevia uma carta que parecia longa demais para ser ouvida rapidamente enquanto alguma mulher da sua equipe dizia “é mesmo” como discordando de mim, parecendo nunca ter me ouvido e ainda dizendo algo como “quem pode discordar?” “da homossexualidade?” como se não houvesse qualquer argumento.

Hoje, eu não vou te dar nenhum.
O que te digo foi a visão que tive nesse pesadelo que me acordou.

Eu sonhei que um homem grande raptou uma criança. A criança seria meu filho. Foi sequestrado. No sonho o homem brincava com meu filho oferecendo-lhe um duelo de espadas. O Meu filho aceitava. Os dois duelavam enquanto os outros fazíamos tudo isso que na pratica é nada, a favor do que queríamos que fosse ouvido.

Quando vi, aquela espada que saia da boca daquele homem, aquela enorme língua de cobra, ia alcançando a boca de meu filho. Era como uma carta vazia, como uma palavra enorme e comprida, sem nenhum conteúdo notável. Nada que eu visse. Sim, uma carta em branco, sem conteúdo sequer. Como as suas palavras,os seus argumentos: vários, vazios, furados, fundados em nada. Porém, isso não importa para você que não faz debates, que trás para a sua casa primeiro os pastores que aprovam a homossesexualidade junto das evangélicas que posam na playboy, que nos trai pelo orgulho da homossexualidade nos oferecendo um beijo forçado ao invés da conversão que prometeu de um homossexual em sua novela.

Não posso falar mais, uma imagem vale mais que mil palavras, eu não tenho tanto espaço quanto você. O que digo é simplesmente isso: ponha debates sérios. Deixe evangélicos serem evangélicos. Mostre sua tolerância a critica. Deixe a verdade prevalecer. Aceite que evangélicos não querem estar em novelas de orgulho gay, e outras tantas coisas que me custaria tempo dizer. Dê aos evangélicos algum programa onde eles possam ser 100% evangélicos ou nos dê nada e caia logo sua audiência como inevitavelmente cairá. Nós somos exigentes, melhor deixar-nos defender o que defendermos, ser quem somos. Debates com os melhores do nosso segmento no assunto fariam a sua audiência ir a alturas, e nós respeitaríamos a vitória de qualquer posição defendida não em massacre de audiência ou em mordaça de imposição, mas num respeitoso debate. Mas que estou dizendo? Você não ouve. Tem olho, mas não vê. Diz que tem, mas nunca nos enxerga. E olha que somos mais de 20% da audiência do Brasil e crescendo. Globo: agente não se vê por ai. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário